quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Aprendendo a ser calmo

domingo, 16 de outubro de 2016

Quadrinhos interativos #1

Como você finalizaria esta tirinha? Escreva nos comentários.


sábado, 17 de setembro de 2016

A ilusão das posses

sábado, 3 de setembro de 2016

Pobres de espírito

Foi uma reunião tensa, com acusações e ameaças. Havia um clima pesado no ar, de medo e apreensão. Tapetes foram puxados. Cortes foram decididos de imediato. Inimizade generalizada. Falsidade. Mas, de repente, em meio a todos aqueles conflitos, perceberam que a margem aumentaria em dez milhões. Alguém disse: - money, money, money. E todos riram. O clima mudou, ficaram contentes. Menos ele. Dentre tão ricas cifras, por dentro, sentia que ele e todos os demais eram muito pobres.

Conversa de negócios

Toda semana ele fazia um call de trinta minutos com o diretor executivo. Naquele dia, começaram falando sobre as Olimpíadas que estavam ocorrendo no Rio de Janeiro. Ele era americano, falaram sobre as medalhas dos Estados Unidos e do Brasil, sobre os principais destaques da natação, atletismo, ginástica e futebol. Comentaram sobre os tempos de juventude, dos esportes que praticavam quando moços. Lembraram-se de muitas coisas interessantes, estavam descontraídos, riram bastante. A conversa estava ótima. Foi quando começaram a falar dos negócios. E o clima mudou. O diretor pegou pesado, cobrou fortemente os resultados. Falou duro, firme. Não adiantou ele tentar argumentar. Assim, aquele papo, que estava tão bom, terminou tenso. Triste. As risadas se foram. A camaradagem acabou. Sobraram apenas preocupações e angústias. As pessoas nunca deveriam conversar sobre negócios...

domingo, 7 de agosto de 2016

Quem tinha maior razão?

Ele estava participando de uma reunião pela internet, quando sua filha chegou da escola. Ela veio até o quarto lhe dar um beijo de olá, como fazia todos os dias. Mas desta vez ficou curiosa: – papai, o que você está ouvindo? Ele respondeu: - é uma reunião da empresa, tem uma pessoa apresentando esta tela e falando para outras catorze pessoas que estão online. Ele colocou os fones na cabeça dela para ela escutar um pouco. Ela se preocupou: eles me ouvem quando eu falo aqui? Ele a tranquilizou: - não, você está em mudo, eles não podem te ouvir. Ela ficou aproximadamente dois minutos com os fones de ouvido. Então os devolveu ao pai, dizendo: - pegue de volta, é só um monte de blá blá blá. Se tivessem lhe perguntado, ele teria dito que era uma reunião de planejamento. Mas ficou pensativo. No fundo, ele sabia quem tinha maior razão.

sábado, 4 de junho de 2016

Viagem de trabalho

Paródia: Viagem de Trabalho
Somente não queria viajar


Nossas famílias estão longe daqui
O avião vai pousar, não tem como fugir
Se lembra quando era só brincadeira?
Fingir que trabalha a tarde inteira...

Mas agora a linguagem que temos na reunião
Parece que era forte, mas não era então
Tenho medo de lhe dizer o que eu quero tanto
Tenho medo e eu sei porquê: estamos trabalhando

Quem é o executivo? Quem é você? (4x)

Nos escondemos tanto, tanto, sem saber
Por que... falar?

Nossas famílias estão longe daqui
O presidente eu vi decidir
Não quis falar o que eu senti
Não contradizer ninguém ali

Quem vai fazer o que você pediu?
Quem vai fazer o que você mandou?
Quem vai fazer agora o que eu não fiz?
Como explicar pra você que eu não quis?

Sou empregado
Lambendo botas

Somente não queria viajar (4x)

sexta-feira, 3 de junho de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Sofrimento

O que você faz quando os resultados não foram bons e o chefe convoca uma reunião para conferir?

terça-feira, 3 de maio de 2016

Seguindo a bolinha com os olhos


Ficando loucão seguindo a bolinha com os olhos...
O mundo corporativo promove a sanidade mental...
Tosco... Brisa total...

terça-feira, 26 de abril de 2016

When two worlds collide

A empresa em que ele trabalha adquiriu outra empresa. Outro monstro do mercado corporativo, uma grande multinacional. Um complexo plano de merge está em desenvolvimento e, em breve, será colocado em execução. Todos os aspectos da nova empresa, resultante da fusão, estão sendo considerados: marca, cultura organizacional, lideranças, estrutura, processos, ferramentas, e de assim por diante. Foi realizado um webconference com todos os funcionários de ambas as corporações para apresentar o planejamento do merge e sanar eventuais dúvidas. E, como sempre acontece, uma boa dose de mensagens motivacionais foram comunicadas. - Esta será a empresa líder do setor por pelo menos três décadas! - Uma infinidade de oportunidades surge a nossa frente! - Sejam ambiciosos, ousados, chegou a época de ouro para os melhores, para aqueles que fazem a diferença! - Serão tempos de enorme trabalho, mas também de glória! - Estamos fazendo história! - Alguma pergunta? Ele tinha uma pergunta: - haverá um plano de demissão voluntária? Quero me inscrever... Mas guardou a pergunta para si próprio em pensamento. No momento certo ele saberia.

sábado, 23 de janeiro de 2016

O abraço do mendigo

Ele estava péssimo. Viajou a trabalho. Outro país. Já se sentia só quando tomou o avião na ida. E, para ele, a reunião definitivamente não foi boa. Sentiu nas expressões dos executivos que as coisas não aconteceram como deveriam. A responsabilidade era sua, ele liderou a discussão. Voltou ao hotel cabisbaixo, não havia mais o que fazer. No bolso sobraram apenas alguns dólares, pois iria regressar ao Brasil naquela noite. Saiu às ruas para caminhar. Tantos pensamentos. Tantos sentimentos negativos. Somados a tudo que já vinha sentindo desde algum tempo, a autoestima foi abaixo do nível do solo. Pensou em Deus, Jesus, pediu ao seu anjo que estivesse por perto naquele momento solitário em terras estrangeiras. Psiu! Virou-se e havia um mendigo magro e totalmente sujo que lhe pediu dinheiro. Ele entregou o que estava no bolso, era tudo o que tinha. O mendigo ficou tão feliz que engatou animada conversa. Ele gostou e deu corda. O mendigo falou sobre uma cidade próxima dali. Ele respondeu que não a conhecia, que era brasileiro. O mendigo disse que aquela era sua cidade natal e que um dia o levaria até lá para passear. Ele sorriu, achando graça. Foi então que o mendigo o fitou bem no fundo dos olhos. Ele ficou paralisado, os arredores se apagaram como em sonho. Naquele instante só existiam os dois. Mesmo sem vários dentes, o sorriso daquele andarilho era belíssimo. O mendigo se aproximou ainda mais. E então se abraçaram como dois grandes amigos. Longamente. Fortemente. Era o calor humano de que ambos tanto necessitavam naquele momento. Ele compreendeu que as coisas que parecem importantes, na maioria das vezes, não são as que mais importam. E voltou ao Brasil muito feliz.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Relatividade

O vice-presidente, ou simplesmente VP, havia pedido a ele para que se encarregasse do projeto. Depois de passado algum tempo, foi marcada uma reunião para checar o progresso. A secretária agendou de um dia para o outro, sem dó. Mas ele tinha um conflito no horário proposto, outra reunião executiva já estava marcada há mais de um mês. Ele enviou um email para a secretária do VP, copiando o próprio, checando se era possível que alterassem o agendamento. Como ninguém respondeu, no dia seguinte enviou um outro email: - vocês receberam esta minha mensagem? Continuou sem resposta. Pediu então para um funcionário da sua equipe participar daquela reunião com o VP no lugar dele. Mas a reunião não aconteceu. Conta o funcionário que o VP ficou contrariado: - sem ele não há reunião! A reunião foi finalmente remarcada. Exatamente para o dia e horário em que ele teria uma entrevista no consulado americano para renovação do visto. Como da outra vez, enviou um email perguntando se poderiam remanejar. Novamente sem resposta. Lembrou-se da famosa teoria proposta por Einstein, a qual estabeleceu que o tempo é relativo. Ele sentia isso na prática. O tempo de alguns é mais importante que o dos outros.